“Drift” em 3 partes (3)

Hoje falaremos das características do carro de Drift.

Essa é a terceira parte do Drift em 3 partes, nesses 3 artigos foram divididos assuntos sobre o que é o Drift as condições gerais do participante e sobre o carro.

Hoje falaremos das características que os carros de Drift devem seguir para poder participar da prova, se enquadrando no regulamento do Super Drift Brasil.

Bom, vale mais o show do que a competição nos campeonatos de Drift, logo o modelo do carro é o mais importante para a categoria.
Nota-se que existem muitas BMW, Nissan 350z, Silvias e Skylines, primeiramente pelo fato de ser RWD “Lógico” pois se não fossem teriam que usar bandejas de McDonalds nas rodas traseiras. Sim, a maioria são carros importados, pois como comentei, vale mais o show.

Eu particularmente acho que o que faz o Drift não é apenas o carro e sim o piloto, bem diferente do que o Leone Andreta disse em uma entrevista para a Webmotors, onde ele afirmou que utilizar carros nacionais no Drift, cai o nível da competição no Brasil. Bom, eu discordo do Andreta e discordo das regras do drift atual, acredito que qualquer carro que  possua chassis ou monobloco de fábrica, deveria participar do evento, mesmo que originalmente o carro tenha saído FWD. Um exemplo claro da evolução do drift fora do BR, é o caso do Toyota Corolla do piloto Fredric Aasbo, que originalmente era FWD e foi convertido para RWD, hoje roda com 1000hp em um motor 4 cilindros turbo nitro.

Mais imagens desse projeto você pode encontrar neste link:

http://www.speedhunters.com/2017/03/rockstar-d-fredric-aasbos-corolla-im-revealed/

Bom, mas aqui estamos falando de coisas inteligentes, e mesmo diante de tantas regras que devem ser seguidas, isso é normal, pois toda competição tem seu regulamento.

Então, como o carro deve ser para participar de provas de drift?

Pra começar, os modelos para serem elegíveis são necessário que sejam “veículos de produção em linha” feitos para utilização nas ruas e com no mínimo de 250 (duzentos e cinquenta) unidades produzidas. Não são permitidos veículos tubulares ou protótipos, caminhonetes e SUVs não são permitidos.
As suspensões dianteiras e traseiras devem manter seus pontos de fixação originais e suas características, exemplo: Um carro que tenha originalmente eixo rígido na traseira deve manter o eixo rígido, não podendo trocar por um sistema de suspensão independente.

Os veículos devem estar com a manutenção em dia, não podendo chegar no evento com prisioneiros faltando nas rodas, para-brisa trincado e outros itens que tragam riscos aos COMPETIDORES
Os Veículos devem manter suas características originais de fábrica mantendo-se o chassis ou monobloco originais, sendo permitido realizar reforços.
O monobloco ou chassi podem ter pontos soldados eletricamente desde que aprovados pela vistoria.
O desenho OEM original do chassis/quadro e ou monobloco deve permanecer inalterado entre os planos horizontais criados pela floorpan original no menor plano horizontal para o teto do carro em seu mais alto plano horizontal. Alterações precisam ser autorizadas pela PROMOTORA. Nenhuma parte da carcaça do motor pode cruzar o limitador vertical da parede de fogo que separa o compartimento do motor do interior do carro, com exceção ao túnel de transmissão.
Todos os furos na parede de fogo devem ser do tamanho mínimo para a passagem dos controles e dos fios, e devem ser completamente vedados para impedir a passagem de fluidos ou chamas do compartimento do motor para o interior do veículo onde fica localizado o condutor.

Os veículos devem estar com a manutenção em dia, não podendo chegar no evento com prisioneiros faltando nas rodas, para-brisa trincado e outros itens que tragam riscos aos COMPETIDORES

PARA-CHOQUES
Todos os veículos devem estar equipados com para-choques traseiro e dianteiro.

SUSPENSÃO
Modificações em suspensão são livres desde que ofereçam segurança ao COMPETIDOR e demais COMPETIDORES, mantendo os pontos de fixação originais da montadora.
As suspensões traseiras devem manter suas características, exemplo: Um carro que tenha originalmente eixo rígido na traseira deve manter o eixo rígido, não podendo trocar por um sistema de suspensão independente.

FREIO
Em todas as categorias o sistema primário de freio deve operar nas 4 rodas.
Os demais itens dos sistemas de freio são livres.

DIREÇÃO
Modificações de componentes da direção (cremalheira de direção, tirantes, etc.) são Livres, desde que vistoriados e liberados pela promotora.

MOTOR E CAMBIO
Substituições de motor, câmbio e modificações são livres. Todos os sistemas de fluidos devem estar livres de vazamentos.

SISTEMA DE RESFRIAMENTO
Modificações no sistema de resfriamento são livres, desde que estejam totalmente vedadas e livre de vazamentos. Não e permitido passar dentro do compartimento do piloto. Pulverizadores de água automáticos serão permitidos, mas só devem ser utilizados fora do traçado da pista.

SISTEMA DE ÓLEO
No compartimento do condutor só é permitido fluido de freio.

SISTEMA DE COMBUSTÍVEL
O projeto do sistema de combustível é livre. As linhas de combustível e equipamentos, devem ser do tipo de alta pressão e posicionado de maneira que não interfiram com as peças em movimento e estar firmemente isolado e ligado ao subframe ou chassi. Linhas de combustível não podem ser encaminhadas através do compartimento do piloto.

ÓXIDO NITROSO
Garrafas de óxido nitroso devem ser montadas firmemente e protegidas.
Os suportes das garrafas devem ser feitos de materiais metálicos, salvo materiais homologados. É obrigatório Garrafas de Oxido Nitroso possuírem um sistema de válvula de alívio de pressão por garrafa.

SISTEMA DE ESCAPAMENTO
Modificações no sistema de escape são livres desde que estejam de acordo com a medição de decibéis, conforme informado pela organização da prova. São exigidos no mínimo um abafador para cada saída de escapamento.

CHAVE GERAL
Nas categorias Drift Amador e Drift Pro, todos os veículos devem estar equipados com Sistema on-board de starter e chave geral

BATERIA
A bateria deve estar completamente fixada, seus terminais bem apertados e o terminal positivo isolado para evitar o contato com quaisquer outras peças de metal. Baterias podem ser realocadas. Se a bateria estiver localizada no compartimento do piloto, a mesma deve estar dentro de uma caixa de proteção, onde ambas deverão estar fixadas.

AEROFÓLIO
A utilização e modelos são livres, desde que estejam bem fixados no veículo.

PARA-BRISA
O para-brisas pode ser de vidro ou substituído por policarbonato. O para-brisa deve estar seguramente fixado ao veículo. O para-brisa deve ser transparente, fica proibido o uso de películas escuras ou espelhadas. Janelas e vigias podem ser de vidro ou substituído por policarbonato. As janelas laterais devem conter algum tipo de mecanismo de abertura para ventilação Janelas laterais e vigias devem ser transparentes, fica proibido o uso de películas escuras ou espelhadas. Janelas laterais podem ser substituídas por rede de proteção homologada.

RETROVISORES
Espelhos externos dos dois lados do veículo são obrigatórios.

GANCHO DE REBOQUE
Todos os veículos devem ser equipados com um gancho/fita de reboque de fácil acesso na parte frontal e traseira do veículo devidamente sinalizados.

LUZES
Faróis e luzes de freio devem estar em perfeito funcionamento, as luzes de freio somente podem ser na cor Vermelha, a utilização de interruptores elétricos, mecânicos e ou hidráulicos de corte, reles, ou qualquer outro dispositivo que tornem as luzes de freio inoperantes de qualquer forma, é estritamente proibido.

LUZ DE FREIO NO TETO DIANTEIRA E TRASEIRA
As luzes de teto devem ser em formato de “tira” com no mínimo de 90cm de largura e na cor vermelha as luzes devem ter intensidade o suficiente para serem vistas durante o dia a 100m de distância. As luzes devem estar ligadas ao circuito existente de luzes de freio do carro. A luz de freio de teto dianteira deve ser instalada na parte superior do para-brisa ou na parte frontal do teto junto ao para-brisa.
A luz de Freio de teto traseira deve ser instalada na parte superior do vidro traseiro ou na parte traseira do teto junto ao vidro traseiro. Tiras de luzes que estejam com 50% ou mais de sua extensão danificada devem ser substituídas antes da competição.

INTERIOR
O Interior do veículo deve estar limpo e com aparência profissional. É proibido peças pontiagudas ou cortantes no interior do veículo que tragam riscos ao COMPETIDOR. Todos os itens não essenciais e/ou soltos devem ser removidos. Na categoria Drift Master, todos as carpetes e/ou material de amortecimento de som inflamáveis devem ser removidos.

VOLANTE
Pode ser utilizado qualquer modelo exceto volantes de madeira.

PNEUS
Os pneus serão adquiridos pelo COMPETIDOR diretamente do fornecedor oficial ou da PROMOTORA, durante o evento, caso não exista um fornecedor oficial os COMPETIDORES ficam livres para utilizarem os pneus que preferirem desde que se atentem as regras da PROMOTORA e sejam oficialmente liberados pela PROMOTORA
Os pneus a serem utilizados nos Treinos, Qualificação e Batalhas deverão ser lacrados pela PROMOTORA do evento.
Somente os pneus lacrados poderão ser utilizados pelos COMPETIDORES nos Treinos, Qualificação e Batalhas, de acordo com a estratégia que escolherem. A quantidade de pneus a serem utilizados durante o período de competições pode ser limitada pela PROMOTORA.
O pré-aquecimento dos pneus são proibidos, bem como produto químico para tratamento também são proibidos. Em caso de uma Equipe, por qualquer motivo, durante a Qualificação ou Batalhas, necessitar utilizar outros pneus que não os lacrados, esta troca deverá ser autorizada pelo Diretor de Prova e poderá estar sujeita a vistoria.

MEDIDAS E ESPECIFICAÇÕES DOS PNEUS
Na categoria AMADOR, durante os treinos livres, de qualificação e nas batalhas, somente serão permitidos o uso de pneus de Linha Radiais para rua com treadwear mínimo de 300, oficialmente liberados pela PROMOTORA.
Na categoria PRO e Master, somente serão permitidos o uso de pneus de Linha Radiais para Rua com treadwear mínimo de 280 liberados pela PROMOTORA. Somente na dianteira dos veículo serão permitidos e liberados pela PROMOTORA o uso de pneus de Linha Radiais Semi-slick durante os Treinos Livres, Classificatórios e Batalhas.
Durante o final de semana de prova o peso pode ser conferido a qualquer momento.
A medida dos pneus deve seguir a tabela a seguir, o peso do carro deve ser aferido juntamente com o Piloto e todos seus equipamentos de proteção. Peso do Carro Medida Máxima do Pneu Entre 900Kg e 1.100Kg 205/45 Entre 1.101Kg e 1.300Kg 235/45 Acima de 1.301Kg 245/45
Na categoria MASTER, durante os Treinos Livres, qualificação e nas batalhas, as medidas dos pneus deve seguir o mesmo da categoria PRO no entanto o Tradeware é livre, os pneus precisam ser oficialmente liberados pela PROMOTORA.

PESO DOS CARROS
O peso mínimo permitido para um carro é de 900Kg com o Piloto e seu equipamento de proteção.

Bom, essa é uma adaptação do texto extraído do regulamento do Super Drift Brasil, é um material fácil e rápido de consultar, espero que todos tenham gostado dessa matéria,
Eai, vai montar seu carro de drift ou não, comente em baixo.
Se você gostou desse ou de outros conteúdos da Octtane Expert, não perca tempo corre lá e compartilhe com os amigos nas redes sociais.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: