Turbina, como escolher?

Saiba qual modelo de turbina aplicar no seu projeto, leia e desfrute de mais uma dica Octtane.

Umas das perguntas que mais escutamos das pessoas que querem turbinar um carro é: Qual turbina uso para um motor x?

E a maioria das respostas que escutamos é: Usa essa que é boa. Nós usamos em um carro com o seu motor e ficou bom.

Escolher turbina não é tão simples assim. Vemos que normalmente o que se faz é colocar uma Turbina porque Joãozinho da oficina X usou e pronto. Para um uso normal, qualquer turbina que for colocada vai funcionar, um pouco mais de pegada, um pouco menos de pegada, mas funciona. Mas se você quer tirar o ideal de uma Turbina, fique atento pois existem inúmeras combinações.

Para resumir vamos por partes.

Existem milhares de combinações entre rotores, carcaças, eixos, etc, etc.

EIXOS

É o que basicamente determina a família da Turbina, tais como T2, T3, T4 etc. Quanto maior o número, maior o eixo, e mais pesado também.

ROTORES FRONTAIS

Essa é a parte mais delicada quando se trata de turbina, o rotor frontal é uma hélice, e como toda hélice tem rotação ideal de trabalho para manter um fluxo de ar adequado. Ex: Ele deve gerar tantos CFMs (cubic feet per minute, ou pés cúbicos por minuto) de ar a uma determinada pressão, para isso deve estar na velocidade ideal. Traduzindo, rotor muito grande = Turbo lag grande e subida de pressão gradativa, rotor muito pequeno = Rotação excessiva da turbina e ar demasiadamente quente. Além disso pressão não é tudo que conta. O motor respira ar e volume de ar também conta, por exemplo, um pneu de bicicleta tem 50 psi de pressão, mas se você pegar uma mangueira de ar e conectar o pneu de bicicleta a um pneu de carro que precisa estar apenas com 26 psi ele não vai encher. Portanto trabalham juntos.

Então em uma T3, por exemplo com a parte fria .42, este .42 é o A/R, isto é área sobre raio, não diz nada em relação ao tamanho do rotor. Na família das T3 podemos ter o Trim 40 = APL 162, Trim 45= APL 388, Trim 50 = APL 240, Trim 60 = APL 525.

“Logo se alguém te falar que usa uma .42 na frente, não está falando nada, depende do rotor que ela tem.”

A/R DE ESCAPAMENTO

Os Ars como são chamados, são área sobre raio. São aqueles, .36, .48, .63, .82, 1.04, etc.
De um modo geral o erro que se comete é usar um rotor dianteiro muito grande, aí a pegada vem muito alta, aí para tentar consertar o erro, vai se diminuindo o AR traseiro, matando a alta do carro. De um modo geral, pouca pressão AR pequeno, muita pressão AR grande.

COMO FAZER ENTÃO COM TANTAS COMBINAÇÕES?

Existem programas de computador que facilitam o serviço, mas primeiro de tudo temos que definir algumas coisas. Primeiramente temos que saber qual a pressão que vamos usar, sejamos conservativos, pressão não é potência, o motor tem outros truques para tirar potência, como cabeçotes preparados, etc. Então vamos definir uma pressão que digamos 1 Kg. É extremamente importante que se defina a pressão máxima que se vai usar, porque tudo gira em torno disso, então não diga; vou usar 1 Kg daqui a três meses subo para 1.3Kg e se não gostar subo para 1.6 Kg, neste caso você teria que usar 3 Turbinas diferentes.

Tendo o motor, a pressão, a RPM máxima, podemos ir nos mapas de eficiência do compressor e determinar qual o rotor ideal, se é um Trim 40 ou 45, etc. O mapa não mente, é a melhor forma de definir a Turbina.

Mas como leitura de mapas e tabelas também requer conhecimento técnico, nós vamos facilitar as coisas (além do que nós temos o programa da Garret que facilita o trabalho) e passar um macete.

É Importante ressaltar que aqui é um ponto de partida, pequenas variações podem ser necessárias.

TABELA PARA CARROS DE RUA


Em breve falaremos sobre a diferença de turbos convencionais e turbos roletados e como anda o mercado nacional sobre essa tecnologia.

By: Chevette Clube RJ

Nós da Octtane postaremos constantemente informações rápidas para enriquecer o seu conhecimento em performance, fique de olho e desfrute desse mundo maravilhoso que é a velocidade.

8 comentários em “Turbina, como escolher?

Adicione o seu

    1. Olá Roberto. Primeiramente, obrigado por acompanhar os conteúdos da Octtane Expert.

      Bom, tanto para o motor 1.4 ou 1.6 originais, recomendo o modelo BorgWarner k16, mais conhecida como kkk16.
      Além dela ser compacta, ter eixo de alumínio e wastegate integrada, é de uma marca super conceituada que equipa carros esportivos do mundo todo! Outro modelo que é mais comum, são as APL 240, apesar de ter um conjunto de eixos grandes para o motor original, faz você alcançar resultados satisfatórios também.

      Curtir

  1. Tenho motor BMW M62B44 ou seja 4,4 L, vou trabalhar com rotação max de7.500 rpm e trabalhar com no max 1,0 Bar em 2 turbinas, 1 por bancada de 4 cil, qual modelo de turbina me sugere?

    Curtir

  2. Boa noite!! Tenho um Voyage 1.8 a álcool original comando 49H e câmbio PS,qual turbina seria ideal para estrada? Que comece a pegar mais ou menos entre 3,300 a 3,500 e tenha torque até os final no caso 6,500 mais ou menos??
    Obrigado.
    Att: Cláudio

    Curtir

    1. Eu gosto muito da Borgwarner K24 ou similares. Existe uma variação da APL que se classifica 525. Seria uma
      .42 com eixo de .50, uma turbina perfeitinha para motores 1.8.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: